27 de julho

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
23/03/21 às 9h06 - Atualizado em 23/03/21 às 9h06

Avenida das Cidades será construída por concessão administrativa

COMPARTILHAR

Uma nova via com 26 quilômetros de extensão, que passa por sete regiões administrativas, será construída no Distrito Federal por meio de Parceria Público-Privada (PPP), na modalidade de concessão administrativa. O projeto da Avenida das Cidades foi debatido com a sociedade, nesta segunda-feira (22), em audiência pública realizada pela Secretaria de Transporte e Mobilidade.

O empreendimento será concedido em licitação nacional, pelo prazo de 28 anos. Prevista para ser construída em 11 anos, a obra tem custo estimado em R$ 2,9 bilhões e pode gerar cerca de 20 mil empregos na fase de implantação. A execução dos serviços deve durar 18 anos, e a previsão é que sejam criados cerca de 80 mil empregos na fase de operação, totalizando 100 mil postos de trabalho no projeto.

A nova avenida tem o conceito de via urbana com a ligação viária entre o Plano Piloto e as regiões do Guará I e II, Arniqueira, Águas Claras, Park Way, Samambaia e Taguatinga. A obra vai permitir a integração entre as cidades que hoje são separadas pelas linhas de transmissão de energia. Será necessário fazer o enterramento das linhas de transmissão desde a Subestação Brasília Geral até a Subestação de Samambaia. Serão enterrados cerca de 534 km de cabos elétricos.

A Avenida das Cidades vai criar condições de desenvolvimento regional. O complexo urbanístico irá contribuir para a geração de novos centros de negócios, lazer e habitação na região. O projeto engloba também o conceito de via verde e prevê a compensação florestal por meio da criação e revitalização de 8 parques, com o plantio de 700 mil árvores.

O projeto vai melhorar a infraestrutura de transporte e mobilidade urbana, e ampliar a oferta de serviços públicos ao longo da via. Além disso, há previsão de construção de empreendimentos imobiliários ao longo da via. A expectativa é de que a região experimente o desenvolvimento socioeconômico sustentável, com a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos.

O subsecretário de Parcerias e Concessões, Henrique Oliveira Mendes, destacou a importância da obra para a mobilidade urbana. “A avenida não será um corredor de transporte com uma via expressa, ela será para pequenos deslocamentos, desafogando o trânsito em vias como a EPNB e a EPTG. Será também uma via de integração com o metrô, incentivando o transporte público, além da implantação de 200 quilômetros de ciclovias e de 900 mil metros quadrados de calçadas, incentivando a mobilidade ativa”.

Guará

Uma equipe da Administração Regional do Guará participou da audiência, presencialmente, e acompanhou a apresentação do projeto e também a participação de moradores guaraenses. " Sabemos que a Avenida das Cidades será um marco de desenvolvimento para o Distrito Federal  e especialmente ao  Guará. Mas, também queremos que a comunidade participe para que seja benéfico para todos", destacou a administradora regional, Luciane Quintana. 

Demandas da região administrativa  também foram apresentadas pelo deputado Delmasso, vice-presidente da Câmara Legislativa acerca do  impacto no trânsito no Park Sul e sobre o local onde estão os empresários do SMAS. "Os moradores do Park Sul  não foram avisados pelas construtoras sobre o traçado da Avenida que no atual projeto está bem próximo e impactaria diretamente ao fluxo do trânsito e por isso, solicitam a alteração do traçado", sugeriu no púlpito. "A área onde estão os areeiros (como são conhecidos os empresários do SMAS) é um local de contrapartida no projeto, então que esses empresários que ali estão desde 1997, tenham preferência de compra para que possam ter segurança jurídica e econômica para continuarem ali", acrescentou.

Contribuições continuam

Durante a audiência pública, a Secretaria de Transporte e Mobilidade recebeu contribuições em participações presenciais e por mensagens on-line. O projeto continua em discussão e os interessados ainda podem enviar sugestões até o dia 31 de março.

A consulta pública tem por objetivo receber contribuições para o aprimoramento dos estudos de modelagem técnica, econômico-financeira e jurídica, e das minutas de edital e contrato da obra. Após essa fase técnica, o projeto será encaminhado para análise no Tribunal de Contas do DF.

As contribuições escritas deverão ser encaminhadas por meio de mensagem eletrônica para consulta.avenidadascidades@semob.df.gov.br ou para o e-mail protocolo@semob.df.gov.br. Quem preferir pode enviar por Correio para o endereço Setor de Áreas Isoladas Norte – SAIN – Estação Rodoferroviária Sobreloja Ala Sul – CEP: 70631-900, Brasília-DF.

Assista à gravação da audiência pública aqui. 

Com informações da Secretaria de Transportes e Mobilidade – Semob

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros