06 de julho

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais

Sobre a RA

O objetivo do Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicações da Administração Regional do Guará é atender às necessidades de informação da instituição através de tecnologias que promovam a produtividade, agilidade, confiabilidade e inovação com colaboração, mobilidade e inteligência , no atendimento ao cidadão, proporcionando eficiência, eficácia e efetividade, com transparência, prezando sempre o princípio da economicidade e das boas práticas.

Para tanto, seu conteúdo contemplará diretrizes, metas, projetos e ações norteando o uso da Tecnologia da Informação e Comunicação de maneira menos onerosa aos cofres públicos. O Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicações (PDTIC), com período de novembro de 2019 à dezembro de 2022, abrangerá o alinhamento das ações do Núcleo de Informática com as diretrizes dos Planejamentos Estratégicos de cada Setor da Administração Regional do Guará. O PDTIC será revisto anualmente, à luz da evolução das necessidades da organização e da inovação tecnológica. 

Publicação: 

DODF N°248 DE 31 DE DEZEMBRO DE 2019 PÁGINA 16

Acesse o plano aqui.

 

Papa Entulho

 

 

O Papa Entulho é um ponto de entrega voluntária (PEV) de entulho, podas, volumosos, materiais recicláveis e óleo de cozinha usado. O local possui rampa de acesso a veículos pequenos para o descarte de resíduos de construção diretamente em caçambas.

 

O local é preparado para receber diariamente, por pessoa, até 1 metro cúbico (equivalente a uma caixa de água de mil litros) de resíduos da construção civil, volumosos (como móveis, vasos, sofás, etc) e restos de podas.

 

Também podem ser entregues materiais recicláveis como papéis, plásticos, papelões e metais, desde que estejam separados e limpos. Esses resíduos serão encaminhados para as cooperativas de catadores de materiais recicláveis.

 

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), por meio do Projeto Biguá, faz parceria com o SLU. Em cada Papa Entulho há um ponto de coleta de óleo usado. Recomenda-se que o material seja levado em embalagens como frascos de amaciante e xampu. A capacidade é de até 50 litros por dia.

 

A Instrução Normativa nº 2, de 15 de março de 2017, publicada no Diário Oficial do DF do dia 17 de março de 2017, expõe as regras para utilização dos Papa Entulhos. O local funciona de segunda a sábado, das 7h às 18h.

 

Não são permitidos  resíduos domésticos (orgânicos e rejeitos), industriais, de serviços de saúde e eletrônicos, pneus, embalagens de agroquímicos, de produtos fitossanitários e de óleos lubrificantes, lâmpadas, pilhas e baterias, equipamentos ou materiais que tenham metais pesados, gesso, espelhos, vidros, amianto, tintas, solventes e tonner.

 

Não é permitida a entrada de cargas de resíduos em caminhões ou carretas.

CONFIRA OS NOVOS DIAS E HORÁRIOS DA COLETA DE LIXO NO GUARÁ

Coleta Convencional

Descrição:

Serviço de coleta de Resíduos Sólidos Urbanos (lixo convencional úmido e misto) das residências e comércios assemelhados às residências, com volume diário, limitado a 120 litros de resíduos sólidos indiferenciados, por unidade autônoma.

DIAS E HORÁRIOS DA COLETA DE ORGÂNICOS E REJEITOS

Formas de atendimento:

Acondicionar o lixo corretamente  (uma) hora antes do início do turno da coleta;

 

 

Requisitos:

Informe: Nome e endereço completo, CPF e telefone.

 

Restrições:

 

– Não dispor resíduos em lotes vagos e terrenos baldios;

– Embalar adequadamente vidros, latas e materiais pontiagudos e perfurocortantes.

 

Legislação:

  • – Lei 5.418/14 – Dispõe sobre a Política Distrital de Resíduos Sólidos e dá outras providências.

– Resolução Adasa nº 21/2016 – Estabelece Condições Gerais Prestação dos Serviços públicos de limpeza urbana e manejo de Resíduos Sólidos

 

Mais informações:

 

Serviço vinculado – PAPA-LIXO.

 

Coleta Seletiva

 

Descrição:

Serviço de coleta e transporte de Resíduos Sólidos Urbanos Recicláveis (papel, plástico, papelão, metal, isopor) das áreas urbanas do Distrito Federal.
 
Formas de atendimento:

Acondicionar o lixo corretamente  (uma) hora antes do início do turno da coleta;

 

DIAS E HORÁRIOS NO GUARÁ 

*Com informações do SLU

 

 

 

Para que serve a planta de situação?

R: Ela é uma exigência no código de obras do Distrito Federal, prevista na lei número 6.138/2018 artigo 38 Inciso I, art. 44 Inciso I. 

Por este motivo para facilitar a vida da população,  dos engenheiros e arquitetos, a administração disponibiliza o download das plantas de situação das Novas Quadras do Guará. Que compreendem desde a QE 48 até 58.

1 de 13 – planta geral

2 de 13 – 152-I-6-B

3 de 13 – 152-II-4-A

4 de 13 – 152-I-6-C

5 de 13 – 152-I-6-D

6 de 13 – 152-II-4-C

7 de 13 – 152-II-4-D

8 de 13 – 152-III-3-A

9 de 13 – 152-III-3-B

10 de 13 – 152-IV-1-A

11 de 13 – 152-IV-1-B

12 de 13 – 152-IV-1-C

13 de 13 – 152-IV-1-D

 

Arquivo 01

Cumprindo a exigência do Plano Diretor de Ordenamento Territorial – PDOT, lei complementar 803, de 25 abril de 2009, a Administração Regional do Guará implementou o Conselho Local de Planejamento Territorial e Urbano do DF (CLP) que possui como atribuições: propor alterações no código de edificações, no uso do solo, nos índices urbanísticos e outros instrumentos complementares à execução política urbana e local e aprovar em caráter preliminar os Planos Diretores Locais. 

As reuniões do conselho são abertas à comunidade que pode colaborar nas discussões, protocolando demandas de acordo com o grau de complexidade citado acima. Entretanto, a deliberação de matérias e voto restringem-se apenas aos seus membros efetivos. 

Você pode consultar a programação das reuniões trimestrais por meio do telefone: 3383 7224.  

 

 

Mês de outubro 2017

Mês de agosto 2017

Histórico

Inaugurada em 03 de março de 1990.

Localização

Área Especial do CAVE, Casa da Cultura

Guará II – Distrito Federal

CEP: 71060-230

Contato

Tel.: 3383-7286

Facebook: fb.me/bibliotecadoguara

E-mail: bibliotecadoguara@gmail.com

Horário de funcionamento

A Biblioteca é aberta ao público e funciona de 2ª a 6ª das 8 às 18hs.

A sala de estudos funciona de 2ª a 6ª das 8 às 22hs e, aos sábados, das 8 às 18hs,

Estrutura física

2 salas com acervo de livros e 1 sala de estudos.

Acervo

Por volta de 8.000 livros distribuídos pelos seguintes assuntos:

-Literatura brasileira e estrangeira

-Gramática

-Língua estrangeira

-Artes

-Filosofia

-Direito

-Ciências Sociais

-Biografia

-Psicologia

-Religião

-Medicina e saúde

-Educação

-Matemática

-Economia

-Física

 

Empréstimo

 Para realizar o cadastro são necessários os seguintes documentos:

-1 foto ¾ recente

-Comprovante de residência

-Apresentação da carteira de identidade

-1 referência de pessoa que tenha telefone fixo.

Regras para o empréstimo

Cada usuário poderá retirar até 3 livros durante 15 dias (com direito a renovação.

  Biblioteca Pública do Guará

Mês de julho 2017

Desde crianças, costumamos ouvir histórias sobre o lobo mau, que sempre tenta devorar alguém. No entanto, isso está muito longe da verdade. Bem diferente do animal ameaçador descrito nas fábulas, o lobo-guará (Chrysocyon brachyurus) é a maior espécie de cão selvagem da América do Sul e chama a atenção tanto pelas pernas longas, que renderam-lhe o apelido de "raposa em pernas-de-pau", como pela vistosa pelagem avermelhada. 

Esses pelos, aliás, são a origem do seu nome popular, pois "guará" deriva de uma palavra do idioma tupi que significa "vermelho". Habitante dos campos e cerrados, o lobo-guará percorre seu território com um andar desengonçado, caçando pequenos animais e também se alimentando de frutas, como a lobeira. Por causa desta dieta variada, essa espécie exerce uma importante função ecológica no controle da população de roedores e dispersão de sementes nos ambientes onde vive. É por isso que alguns pesquisadores chegam até mesmo a chamar o lobo-guará de "o guardião do Cerrado".

Mas, infelizmente, o ser humano também está criando problemas para este guardião. Outrora encontrado por quase toda a região central do continente sul-americano, o lobo-guará é hoje considerado extinto no Uruguai e desapareceu de boa parte do norte da Argentina e sul do Brasil.

A espécie sofre com a destruição do habitat, doenças transmitidas por cães domésticos e a caça ilegal, que é motivada inclusive por crendices populares de que o lobo-guará traz "mau agouro". Algumas populações estão tão pequenas e fragmentadas que só conseguirão sobreviver a longo prazo com a ajuda de mãos humanas, como, por exemplo, no caso da Estação Ecológica de Águas Emendadas. Uma estimativa recente sugere que não existam mais do que 20 lobos-guará nesta Unidade de Conservação do Distrito Federal. Ou seja, corremos o risco de perder um ícone do Cerrado e ficarmos mais perto de um mundo sem lobos-guará, bem aqui no coração do Brasil. E o Zoológico de Brasília não pode permitir que isto aconteça. Esta é a razão de cuidarmos de 9 lobos-guará, pertencentes a duas famílias distintas, e manejá-los de forma a que se reproduzam e contribuam para a diversidade genética da população sob cuidados humanos ao redor do globo. 

Este é um trabalho que já está profundamente arraigado na nossa história, pois nos tornamos, em 1963, um dos primeiros zoos no mundo a criar esta espécie com sucesso. Paralelamente, ainda colaboramos com o IBRAM, IBAMA e ICMBio na reabilitação de animais resgatados de atropelamentos, queimadas e feridos por caçadores e armadilhas.

No ano de 2015, por exemplo, uma fêmea de lobo-guará baleada no flanco foi operada e tratada pela equipe do Hospital Veterinário do Zoológico de Brasília e, após estar recuperada, foi devolvida à natureza. Todas essas ações fazem parte de um comprometimento com uma missão muito maior, de garantir a existência de populações saudáveis dos animais e para que haja um mundo com lobos-guará no futuro. Se você também não aceita um mundo sem este guardião do Cerrado, venha conhecer nosso trabalho e compartilhar desse sentimento. Afinal, "O mundo precisa de mais de lobos guará!"

Fonte: Zoológico de Brasília
Foto: Andre Borges/Agência Brasília.​

Mês de junho 2017

Mês de maio 2017

Mês de abril 2017

Mês de março 2017

Mês de fevereiro 2017

Mês de janeiro 2017

Mês de dezembro 2016

28 de novembro até 02 de dezembro

Projeto Biguá recebe óleo de cozinha

unnamed

O projeto Biguá existe desde 2008 e os recursos são financiados pela Agência Brasileira de Inovação (Finep). Foram distribuídos 25 pontos que recebem os resíduos de fritura, distribuídos por 19 regiões administrativas, entre elas, a Administração do Guará, localizada ao lado da Feira e que já está recebendo os rejeitos do óleo de cozinha.

Locais onde a utilização do óleo é significativamente maior, como em bares, restaurantes e condomínios, podem se cadastrar como parceiros do projeto pelo telefone (61) 3214-7989 ou pelo e-mail projetobigua@caesb.df.gov.br

Mês de novembro de 2016

1- Mapa do Guará 

 

 

Coleta de móveis sem utilidade

13346141_584382508389951_2622287848045064581_o


Pensando em uma cidade mais limpa e organizada, a Administração Regional do Guará disponibiliza desde o início do ano,  o serviço de coleta de móveis usados, velhos ou quebrados, com o objetivo de evitar o descarte irregular vias públicas como  em ruas, calçadas ou terrenos baldios. A Administração auxilia os guaraenses na coleta dos insevíveis em domicílio. 

 Manter a nossa cidade limpa é responsabilidade de todos nós. A campanha campanha de coleta de móveis que não servem  mais e eletrônicos continua. As equipes de manutenção e conservação da adiministração atuam diriamente para a melhoria  de vida e bem estar da população. Caso o morador possua algum desses objetos que não servem mais e não tenha como  depositá-los em local específico, pode solicitar o serviço à Administração Regional do Guará pelo 3383 7262 e agendar a  coleta.

 

Descarte de televisores tubos e eletrônicos

P1300588

Com a aproximação da data final para funcionamento do sinal analógico, em Brasília, que ocorrerá no dia 26 de outubro, a Administração Regional do Guará, preocupada com o descarte inadequado das televisões tubo sem utilidade nas vias públicas da região administrativa, fechou parceria com a ONG Estação Metarreciclagem, em maio deste ano,  com o intuito de disponibilizar um contêiner de coleta dos aparelhos eletrônicos no prédio do órgão e também no centro da Feira do Guará, locais estratégicos e de grande circulação de pessoas. Além das tv's, são recebidos qualquer outro item eletrônico que não sirvam mais. 

Além dos contêiners, a administração reforça a coleta, disponibilizando um caminhão para recolher os equipamentos na casa do morador, por meio de agendamento pelo telefone: 3383- 7262. 

Isto porque a sua companheira de muitos anos ainda pode ser muito útil, mas para que isso aconteça, você precisa descartá-la da maneira correta. Existem empresas e ONGs especializadas em separar cada parte do televisor e assim aproveitar os materiais após o processo de reciclagem.

 Não sabe o que fazer com sua TV tubo? É muito simples:

Basta trazer seu equipamento antigo até um dos Pontos de coleta, ou contatar o serviço de coleta da administração pelo 3383 7262.

Administração do Guará

SRIA II QE 25 Guará II | Segunda a sexta, das 8h ás 18h | 61- 3383-7262

Feira do Guará

Área Especial Guará II | Quarta a Domingo, das 8h ás 18h

Confira também a reportagem veiculada na Rede Globo sobre o assunto, clicando no link: http://goo.gl/vw3vkE

*Com informações do site Seja Digital

Administradora Regional do Guará

Luciane Quintana

gab@guara.df.gov.br

(61) 3383-7242

 

Chefe de Gabinete

Natália Suassuna

natalia.guimaraes@guara.df.gov.br

(61) 3383-7220
 

Coordenadoria de Administração Geral

Gilcely Gomes

gilcely.gomes@guara.df.gov.br

(61) 3383-7201

 

Coordenação de Licenciamento, Obras e Manutenção

Marcus Vinicius Vieira

marcus.viera@guara.df.gov.br

(61) 3383-7204
 

Diretoria de Obras

Ighor Rodrigues

ighor.rodrigues@guara.df.gov.br

(61) 3383-7221
 

Gerência de Obras

Sinesio Fabiano Veras

sinesio.veras@guara.df.gov.br

(61) 99229-9123
 

Gerência de Conservação e Manutenção

Kamylla Victoriano de Souza

(61) 3383-7221

 

Diretoria de Aprovação de Projetos

 

Coordenação de Desenvolvimento

Lenimar Ferreira Caetano

lenimar.caetano@guara.df.gov.br

(61) 3383-7267


Núcleo de Apoio às Feiras / Núcleo de Apoio a Quiosques e Bancas de Jornal

Maria Rita Marques Sodré 

maria.sodre@guara.df.Gov.br

(61) 3383-7267


Ouvidoria

162
 

Chefe da Assessoria de Comunicação

Nirvana Lima

ascom@guara.df.gov.br

(61) 3383-7213

 

Assessoria Jurídica

Bruna Monique Rocha

bruna.monique@guara.df.gov.br

(61) 3383-7208
 

Junta Regional do Serviço Militar

Nelson da Costa

jsm259delesp@gmail.com

(61) 3383-7235 ou 7246

 

Gerência de Cultura

Julimar dos Santos

 3383-7244 ou (61) 98179-7236 
 

Gerência de Esporte e Lazer

Timóteo Vilarins

(61) 99121-1881

 

Gerência de Orçamento e Finanças

Fabiano Costa

(61) 3383-7233 ou 7234


Gerência da Sala do Empreendedor

Rafael Araújo

(61) 3383-7290

gedec@guara.df.gov.br
 

Atualizado em: 02/07/2020

 

 

 

             

(61) 3383-7213

ascom@guara.df.gov.br

 

Bosque dos Eucaliptos

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL LEI Nº 2014, DE 28 DE JULHO DE 1998

(AUTOR DO PROJETO: Deputado Distrital João de Deus) 

Transforma em Parque Ecológico e Vivencial Bosque dos Eucaliptos o Bosque dos Eucaliptos da Região Administrativa do Guará – RA X. 

Faço saber que a Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou, o Governador do Distrito Federal, nos termos do §3º do art. 74 da Lei Orgânica do Distrito Federal, sancionou, e eu, Presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, na forma do §6º do mesmo artigo, promulgo a seguinte Lei: 

Art. 1º Fica transformado em Parque Ecológico e Vivencial Bosque dos Eucaliptos o Bosque dos Eucaliptos da Região Administrativa do Guará – RA X.

Art. 2º São objetivos do Parque Ecológico e Vivencial Bosque dos Eucaliptos:

I – propiciar à comunidade área destinada à conservação local, para a manutenção da viabilidade genética das espécies do cerrado e a garantia da preservação da área;

II – criar núcleo de educação ambiental;

III – proporcionar recreação e lazer à população em harmonia com a preservação do ecossistema da região.

  • 1º A área do Parque Ecológico e Vivencial Bosque dos Eucaliptos situar-se-á entre as Quadras EQ 38, EQ 40 e EQ 42 do Guará II.
  • 2º O Poder Executivo, por intermédio de seus órgãos competentes, demarcará as poligonais do parque de que trata esta Lei.

Art. 3º À Administração Regional cabem implantar, administrar e manter o Parque Ecológico e Vivencial Bosque dos Eucaliptos, permitido firmar acordos, contratos e convênios com entidades públicas e privadas, nos limites da lei.

Parágrafo único. A orientação e a supervisão do Parque Ecológico e Vivencial Bosque dos Eucaliptos ficará sob a responsabilidade da Secretaria do Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia – SEMATEC.

Art. 4º Fica assegurada a participação tripartite do governo, dos usuários e das entidades associadas de proteção ambiental do Distrito Federal, na gestão do Parque Ecológico e Vivencial Bosque dos Eucaliptos.

Art. 5º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 6º Revogam-se as disposições em contrário.

Publicada no DODF de 20.08.1998

bosque dos eucaliptos

Parque Denner

O Parque Denner não se localiza dentro de Unidade de Conservação. É vizinho da APA do Planalto Central, do Parque Ecológico Ezechias Heringer e do Parque Ecológico e Vivencial Bosque dos Eucaliptos. Tem como infraestrutura pista de caminhada, parquinho e quadras.

O Parque possui uma nascente e trecho de campo de murundu alterado. É possível verificar que algumas áreas permanecem úmidas apesar das alterações que ocorreram dentro de sua poligonal e entorno. De modo geral, trata-se de UC com poucos atributos ambientais e grande uso da população.

Dentro do processo de recategorização há a sugestão para que seja classificado como Parque de Uso Múltiplo Denner.

Fonte: Instituto Brasília Ambiental – IBRAM

 

denner

 

Parque Ecológico Ezechias Heringer (Parque do Guará)

O Parque Ecológico Ezechias Heringer, com uma área de 306,44 hectares, está localizado dentro da Unidade de Conservação APA (Área de Proteção Ambiental) do Planalto Central. Abriga centenas de espécies de plantas, entre árvores, arbustos, flores, trepadeiras e cerca de 100 espécies de orquídeas catalogadas. Banhado pelo córrego Guará, é refúgio para algumas espécies de répteis, pequenos roedores e diversos tipos de pássaros. Seu nome homenageia o engenheiro pioneiro no estudo do Cerrado e suas orquídeas. A área onde está localizado foi um dos locais do DF em que o agrônomo e ambientalista Ezechias Heringer mais atuou, tendo observado variedades raras de orquídeas típicas do Cerrado e nativas desta região.

O frequentador do parque tem a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre essas espécies ao visitar o orquidário existente na unidade, espaço criado em homenagem ao estudioso, que recebeu o nome de Barjout Mirray Heringer, viúva do pesquisador.

Em torno do Parque, além da APA do Planalto Central, na qual ele se insere, existem a ARIE (Área de Relevante Interesse Ecológico) Santuário de Vida Silvestre do Riacho Fundo, e os Parques Vivencial Denner e Ecológico e Vivencial dos Eucaliptos.

O parque possui atributos ambientais sensíveis como nascentes, córrego, campo de murundus e várias espécies endêmicas. Conta também com a presença de densa mata de galeria cerrado típico, que protege os recursos hídricos do local.

O Ezechias Heringer dispõe de estrutura para a prática de esporte individuais e coletivos, a exemplo de pista de cooper e ciclovia, quadras poliesportivas, quadra de vôlei de areia e Ponto de Encontro Comunitário (PEC), playground com oito brinquedos, três duchas, conjunto de bancos e lixeiras, guarita, banheiro ecológico, e Bosque Rio+20 com mudas do cerrado. Essas e outras melhorias em infraestrutura foram entregues à comunidade do Guará, em novembro de 2012, e foram feitas a partir da utilização de recursos das compensações ambientais e florestais e por meio da aplicação direta de recursos oriundos da iniciativa privada, somando um investimento total de R$ 2 milhões.

No processo de recategorização pelo qual estão passando todos os parques do Distrito Federal, administrados pelo IBRAM, com o objetivo de adequá-los às categorias previstas no Sistema Distrital de Unidades de Conservação da Natureza (SDUC), o Parque Ezechias Heringer, hoje parque Ecológico, passará a ser parque distrital. O parecer dos técnicos, que estão trabalhando na recategorização, diz o seguinte sobre esta Unidade de Conservação: “Considerando os atributos e sua alta importância ambiental sugere-se que o Parque receba status de Unidade de Proteção Integral. Propõe-se sua recategorização como Parque Distrital Ezechias Heringer, com possibilidade de fusão com a Reserva Biológica do Guará, que praticamente tem atributos ecológicos semelhantes”.

O Ezechias Heringer possui Áreas ocupadas irregularmente, que passarão por processo de desocupação. O Parque chega a receber atualmente 300 pessoas nos finais de semana. Está localizado na QE 23, Guará II. A entrada é gratuita e é aberto diariamente das 6 às 18 horas.

Fonte: Instituto Brasília Ambiental – IBRAM

 

Parque Ecológico Ezechias Heringer

 

 

 

 

Regimento interno RA Decreto Nº 38.094 28.03.2017

DECRETO Nº 38.632, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2017 altera os artigos 24 e 42 do Anexo I do Decreto n° 38.094, de 28 de março de 2017, que aprova o Regimento Interno das Administrações Regionais do Distrito Federal.

Atualizado em 16 de novembro de 2017

Conheça um pouco a administradora do Guará, Luciane Quintana 

A paulista Luciane Quintana é a terceira mulher a liderar a Administração Regional do Guará nos 41 anos de fundação do órgão público. Mestra em Ciências Florestais pela Universidade de Brasília (UnB), ela aceitou com entusiasmo a missão de comandar a administração regional (veja o que ela diz no vídeo abaixo).

Uma das principais frentes de trabalho de Luciane são as ações de conservação e manutenção das áreas verdes da região administrativa. Com o reforço do GDF Presente, áreas como o Parque Ecológico Ezechias Heringer e o Parque Denner, na QE 40, receberam revitalização. A limpeza das ruas e das bocas de lobo são outros importantes ações em curso na atual gestão.

Para tanto, a administração regional lançou o projeto “Guará sem Lixo”, que conta com a participação de moradores, comunidade escolar e educadores ambientais. O objetivo é reduzir o descarte irregular de lixo nas vias públicas e eliminar os casos de dengue na cidade.

Outra prioridade tem sido atender demandas antigas da população, a exemplo da construção da rede pluvial do Conjunto H da QE 38. Há quase uma década moradores aguardavam solução contra os efeitos dos alagamentos.

Nas áreas cultural e social, estão a pleno vapor ações relevantes como a Rua do Lazer, que tem reunido quase duas mil pessoas a cada último domingo do mês.

Veja o que diz a administradora:

Fonte: Agência Brasília

 

 

 

 

 

 

A região administrativa do Guará foi fundada no dia 5 de maio de 1969 com o objetivo inicial de abrigar funcionários públicos do Governo do Distrito Federal. Com o passar dos anos e o crescimento populacional, o Guará alcançou grande desenvolvimento social e econômico, despontando como uma das regiões administrativas com a maior renda per capita do DF, segundo apontou o relatório da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD) de 2015, feito pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan).

O Guará é uma região consolidada, composta por uma classe média esclarecida, alto nível de escolaridade e poder aquisitivo elevado, o que garante aos moradores uma boa qualidade de vida.

Nos últimos 40 anos a cidade mudou muito, mas continua com o perfil bucólico e tranquilo. A maioria das casas originais construídas pela Shis (Sociedade Habitacional de Interesse Social) nas décadas de 60 e 70, deu lugar a casas com arquitetura diferenciada, sobrados e condomínios de bom nível, evidenciando o crescimento socioeconômico de sua população.

Alterações recentes no Plano Diretor da região administrativa permitiram também a construção de prédios de apartamentos de luxo de até 20 andares e de novas quadras residenciais em áreas limítrofes à Candangolândia e ao Núcleo Bandeirante.

Fotos: Arquivo Público do Distrito Federal 

História do Guará

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros