27 de setembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
18/07/13 às 17h54 - Atualizado em 8/11/18 às 16h24

Vacinação contra poliomielite continua

COMPARTILHAR

A vacinação contra poliomielite no Distrito Federal continuará até que a meta de 173.764 mil crianças imunizadas, o equivalente a 95% do público-alvo (estimado em 182.906) seja alcançada. Desde o dia 8 de junho até 12 de julho foram vacinadas no DF 164.452 mil crianças de 6 meses a menores de 5 anos.

Até o momento, no Guará, o total de crianças vacinadas foi de 8.901 , o que corresponde a 93,8% do público-alvo da cidade. Pais e responsáveis que ainda não levaram as crianças para vacinar, os centros de saúde da cidade são o nº 01 (QI 06, A/E, Guará I – 3567.4198), o nº 02 (QE 23, A/E, Guará II – 3567.3055), o nº 03 (QE 38, A/E, Guará II – 3301.1995) e o posto de saúde do Lúcio Costa (E/QELC 02/03 – 3382.6586).

“Pedimos aos pais a consciência de levar o filho a um posto de vacinação para receber a vacina, única forma de prevenção da paralisia infantil. Até o momento, 89,91% da cobertura vacinal foi alcançada, por isso a prorrogação das vacinas até que alcancemos os 95%”, afirma a subsecretária de Vigilância à Saúde, Marília Cunha.

A gerente de Vigilância Epidemiológica e Imunização da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), Cristina Segatto, lembra que a população alvo a ser vacinada é de crianças a partir de seis meses até os menores de cinco anos de idade. “Também lembramos aos pais sobre a necessidade de apresentar o cartão de vacinação”, afirma.

Segundo a subsecretária Marília Cunha, a campanha tem como objetivo manter o Brasil na condição de país certificado internacionalmente para a erradicação da poliomielite, estabelecendo proteção coletiva e a disseminação do vírus vacinal no meio ambiente. “Os países livres da poliomielite precisam manter altas coberturas vacinais”, afirma. O Distrito Federal não registra um caso de poliomielite há 26 anos.

Crianças com infecções agudas e febre acima de 38ºC, com imunodepressão congênita ou adquirida (como AIDS), ou que estejam se submetendo a quimioterapia e apresentem alergia grave a um dos componentes da vacina não devem ser imunizadas. Em caso de dúvida os pais devem procurar orientação do médico.

A vacina oral contra a poliomielite é extremamente segura, sendo raras as reações associadas a sua administração. A poliomielite ou “paralisia infantil” é uma doença infectocontagiosa viral aguda, caracterizada por quadro de paralisia flácida, de início súbito. O déficit motor instala-se subitamente e a evolução desta manifestação, frequentemente, não ultrapassa três dias. Acomete em geral os membros inferiores, de forma assimétrica, tendo como principal característica a flacidez muscular.

Com informações da Secretaria da Saúde

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros