27 de setembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
8/11/13 às 17h17 - Atualizado em 8/11/18 às 16h23

Núcleo do Pro-vítima é inaugurado no Lúcio Costa

COMPARTILHAR

Mais uma unidade de atendimento do Programa de Assistência Multidisciplinar a Vítimas de Violência (Pró-Vítima) foi inaugurada hoje (8) no setor Lúcio Costa, no Guará. Os serviços do núcleo atenderão também Candangolândia, Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo I, ParkWay, SIA, Estrutural e Cidade do Automóvel. O atendimento é gratuito.

A solenidade contou com a presença do governador em exercício, Tadeu Filippelli, que assinou o termo de concessão do imóvel onde se encontra a unidade e descerrou a placa que oficializa o começo das atividades no local. Na abertura do evento, o sanfoneiro Sivuquinha, com 35 anos de carreira na capital federal, agraciou os presentes com o Hino Nacional.

“Tive a oportunidade, ao longo de minha vida política, de estudar sobre o tema e vi que as políticas eram voltadas apenas para os encarcerados e suas famílias. E a plena ausência de atenção às vítimas me indignava. Hoje saio daqui mais tranquilo porque sei que existe um grupo fantástico fazendo um trabalho em prol dessa parte da população”, afirmou Filippelli.

A carreira pública também foi uma escola para o secretário de Justiça, Alírio Neto, que estudou a questão dos direitos humanos e também detectou o descaso com as vítimas. Foi, a partir desse momento, que surgiu a ideia de criar um projeto voltado para o assunto.

“Compreender o foco da vítima e saber de seu abandono me sensibilizava muito. Por isso, pensei em uma maneira de ajudar essas pessoas, momento em que foi criado o Pró-Vítima. Quando colocamos o projeto em ação, em 2009, na América Latina não havia nada parecido. Recebemos ligação da Guatemala e do México naquela época, e hoje eles adotam ação semelhante à nossa”, afirmou o secretário.

A subsecretária de Proteção às Vítimas de Violência, Valéria de Velasco, se emocionou com a inauguração da quinta unidade no DF e lembrou a importância da cessão do espaço pela administração do Guará. Ela destacou que pretende “estabelecer parcerias para políticas públicas em busca dessa paz que tanto a população almeja no DF”.

Para o administrador Carlos Nogueira, a Administração apoia toda iniciativa em defesa do ser humano e se sente honrada em colaborar com um projeto dessa envergadura e de grande alcance social.

Uma presença que sensibilizou o público foi a da jovem Ingrid Moura, 23 anos, primeiro caso atendido pelo programa, em 2009. Sua família recebeu toda a atenção necessária após a morte de sua tia, assassinada pelo companheiro com três facadas dentro do restaurante onde trabalhava como caixa.

“Não esperava que o governo prestasse esse tipo de serviço às vítimas. Quando a Valéria Velasco, que presenciou o crime, entrou em contato com a minha família e disse que encaminharia uma equipe na minha casa para prestar atendimento, fiquei surpresa. É bom saber que existem pessoas que apoiam a sua luta e te ajudam”, se emocionou.

Pró-Vítima – A equipe de atendimento realiza, entre outros serviços, visitas domiciliares de acolhimento, acompanhamentos em inquéritos policiais e sessões judiciais, assistência de acusação em júris, audiências em varas especializadas de violência doméstica e de trânsito, sessões psicológicas individuais e de terapia de grupo, intervenções sociais e outras.

Atualmente, o programa atende em quatro unidades: na sede da Secretaria de Justiça, na Estação Rodoferroviária; e nos Núcleos Paranoá, Ceilândia e Plano Piloto. São realizados mais de seis mil atendimentos por ano nesses locais.

Com informações da Agência Brasília

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros