27 de setembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
13/02/14 às 13h53 - Atualizado em 8/11/18 às 16h22

Coleta seletiva de lixo

COMPARTILHAR

Os caminhões da coleta seletiva de lixo já estão circulando pelo Guará. Para saber qual o dia da semana e o horário que o caminhão vai passar na sua rua, clique aqui.

Os caminhões da coleta seletiva recolherão somente o lixo seco (papel, plástico, vidro e alumínio). Já os caminhões da coleta convencional, responsáveis por retirar o descarte orgânico, continuarão cumprindo a escala e o itinerário normalmente.

O trabalho do morador é separar o lixo seco do orgânico. O SLU recomenda cuidado ao descartar vidros. A orientação é embalar o material em papelão ou jornal, para facilitar o manuseio e evitar acidentes. Após esse trabalho, o cidadão deve guardar o lixo seco em casa até a chegada do caminhão.

Quanto ao óleo de cozinha, este não deve ser descartado no lixo convencional e nem ser jogado em pias ou privadas por causar entupimentos na rede de esgoto e ser prejudicial ao meio ambiente.

O morador deve armazenar o material em recipientes de plástico e entregar em um dos 14 pontos de entrega voluntária da Caesb, que serão inaugurados até final de fevereiro. A companhia já realiza este trabalho, mas reforçará a campanha e oferecerá novos espaços de coleta.

Os resíduos eletrônicos, como pilhas, computadores e baterias, também devem ter uma destinação diferente. Todos esses materiais podem ser entregues em um dos 13 núcleos de limpeza do SLU (endereços no site do órgão) ou nos pontos de entrega voluntária (PEVs), que serão implantados em locais de grande circulação como rodoviária, aeroporto e shoppings. Grandes redes de supermercados também dispõem de locais para descarte.

Com a coleta seletiva está dado o primeiro passo para o fechamento definitivo do Lixão da Estrutural. Segundo o governador Agnelo Queiroz, o GDF fará um trabalho exaustivo de esclarecimento para mudar o comportamento das pessoas e conscientizar a todos sobre o funcionamento da coleta seletiva.

O governador anunciou ainda que o DF tem a meta ousada de reciclar 15% do lixo seco recolhido no período de um ano, após a implantação do novo sistema. “Curitiba, que foi pioneira nesse processo no Brasil, consegue chegar a 21%, portanto, sabemos que é um grande desafio. Mas contamos com a conscientização da nossa população, que é parte fundamental nesse processo”.

O diretor do SLU, Gastão Ramos, disse que a política de resíduos sólidos do DF baseia-se basicamente no fechamento do Lixão da Estrutural. “Para que isso ocorra, trabalhamos com três pilares: a implantação da coleta seletiva, a construção do primeiro aterro sanitário do DF e a construção dos centros de triagem, ambas as obras em andamento”, ressaltou.

A coordenadora da Associação Recicla a Vida, Mônica Mendes, elogiou a coleta seletiva “como a concretização de um sonho”. Segundo ela, os catadores eram discriminados pela sociedade e agora estão sendo reconhecidos pelo governo, que entregará 100% do lixo seco para as cooperativas. “Com essa iniciativa, teremos um local digno para trabalhar e cuidar dessa riqueza, que é o lixo, onde centenas de famílias tiram o seu sustento”.

Compartilha da mesma opinião a presidente da Associação Ambiente, Ana Cláudia de Lima Santos, que trabalha como catadora há mais de dez anos na Estrutural. “Nossa luta é por dignidade. Espero que a partir de agora nossa história seja mudada. Até maio, mês que marca o fechamento do Lixão, poderei dizer efetivamente que vencemos essa luta e marcaremos a história dos catadores de Brasília”, destacou.

Com informações da Agência Brasília

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros