28 de novembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
13/01/22 às 15h10 - Atualizado em 13/01/22 às 15h10

Guará tem redução no número de casos de dengue

COMPARTILHAR

Em Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde do DF, o número de casos registrados de dengue caiu na cidade comparado à mesma época de observação em 2020. O estudo apresentou as informações ocorridas entre as Semanas Epidemiológicas (SE) 01 a 50 (03/01/2021 a 18/12/2021) na região administrativa integrada à região centro-sul do DF que além do Guará compreende Candangolândia, Estrutural, Núcleo Bandeirante, Park Way, Riacho Fundo I e Riacho Fundo II. O comparativo apresentou 2.880 casos em 2020 contra 436 em 2021 representando queda de 88,2% no número de casos de dengue. 

O Boletim Epidemiológico é produzido mensalmente pela Gerência de Vigilância das Doenças Transmissíveis (GVDT), da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVEP), da Subsecretaria de Vigilância à Saúde (SVS), da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) – GVDT/DIVEP/SVS/SES-DF e disponibilizado no site da Secretaria na última sexta-feira de cada mês.

Em 2021, os casos de dengue no Distrito Federal apresentaram queda, em comparação com os dados de 2020. Houve redução de 68%. No entanto, isso não significa que o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença, deve ser deixado de lado.

  

As ações de inspeção da Vigilância Ambiental em conjunto com a Administração Regional do Guará são realizadas semanalmente com o objetivo de conscientizar moradores quantos aos cuidados necessários e combater possíveis focos do mosquito. 

"Essa guerra envolve todos nós e é preciso que a população seja consciente das pequenas ações que surtem efeito importantíssimo para reduzirmos cada vez mais o registro de casos dessa doença. Estamos alinhados junto ao GDF nas ações de limpeza, recolhimento de entulho, mapeamento de sucatas e sobretudo divulgação nos nossos meios oficiais para a correta prevenção", afirmou a administradora regional, Luciane Quintana. 

A forma mais eficaz de prevenção da dengue, zika e chikungunya é o combate ao Aedes aegypti, não deixando o mosquito nascer. Os principais criadouros do mosquito ainda são encontrados nas residências, principalmente nos quintais, como baldes sem tampa, vasilhas, pratos de plantas e caixas d’água destampadas. Mas não se pode descuidar da atenção a pequenos reservatórios, como vasos de plantas, calhas entupidas, garrafas, lixo a céu aberto, bandejas de ar-condicionado, poço de elevador, entre outros.

Considerado um inseto doméstico, o Aedes é um mosquito oportunista, sempre estando próximo a locais de circulação de pessoas e alimenta-se preferencialmente durante o dia, mas também pode picar à noite.


Guará livre de carcaças

Outra ação importante de combate ao mosquito está ligada ao recolhimento de carcaças abandonadas nas áreas públicas da cidade. Em dezembro de 2021, foram retiradas mais 10 sucatas em áreas mapeadas pela Administração Regional e Secretaria de Segurança Pública. Já são contabilizados 77 veículos abandonados recolhidos no Guará. Nesta passagem, foram recolhidas carcaças da QI 19, QE 36, QE 40 e Polo de Moda. O serviço atendeu às denúncias registradas por moradores via Ouvidoria. O resultado consiste em uma cidade mais segura, com menos focos de dengue e mais organizada. Com supervisão da Secretaria de Segurança, a operação contou com a parceria da Administração do Guará, a Novacap e o Detran-DF.

Mapa do site Dúvidas frequentes