04 de dezembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
6/11/22 às 11h06 - Atualizado em 10/11/22 às 11h06

GDF investe em capacitação de startups para tornar cidade mais inteligente

COMPARTILHAR

Projeto da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, executado pelo Codese, ajuda novas ideias a saírem do papel com mentores altamente qualificados em encontros semanais, até dezembro

Agência Brasília* | Edição: Carolina Lobo

O Guará foi a primeira cidade do Distrito Federal a substituir as carroças tradicionais, geralmente puxadas por cavalos, por tuk-tuks elétricos. E dentro das casas e apartamentos, em pequenas empresas e escolas, há uma revolução tecnológica em andamento. Nesses lugares, estão os criadores de startups e de games, que desenvolvem soluções inusitadas e tecnológicas para problemas reais da sociedade. É neste terreno fértil à inovação que a iniciativa Hackacity Guará tem discutido formas de tornar a cidade mais inteligente, humana e sustentável.

Foram inúmeros encontros, virtuais e presenciais, entre a comunidade e especialistas, para discutir como tornar o DF ainda melhor, um esforço comunitário para demandar e incentivar processos inovadores que têm dado frutos. O projeto é fomentado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e executado pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico do Distrito Federal (Codese).

Em junho deste ano, foi promovida uma jornada de aprendizagem e diálogo sobre tecnologia, sustentabilidade e um futuro mais inteligente para a cidade: a Experiência Hackacity Guará, no Polo de Moda do Guará. Foram sete dias com startups, produtores de games, artistas, estilistas, projetos sociais, especialistas e a comunidade discutindo os caminhos para tornar o Guará uma cidade mais inteligente.

Uma das startups participantes do Hackacity Guará, a Arvorah, acaba de participar da Web Summit Lisboa, o maior evento de inovação da Europa, a convite da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil). Fundada por Thiago Oliveira, a Arvorah é uma plataforma voltada a pessoas com câncer, com propósito de conectar o cuidado e bem-estar, suavizando os desafios da jornada oncológica dos pacientes e familiares. A startup orienta a gestão do cuidado mental, nutricional, suporte aos efeitos colaterais e medicamentos, e facilita o acesso dos exames, procedimentos diagnósticos e de rastreio por meio de um efeito de rede e sistemas de automação.

Guará, cidade inovadora

 

Para ajudar essas ideias a se desenvolverem, foi criada a Incubadora Hackacity Guará, um esforço para incentivar o surgimento de ideias inovadoras que possam tornar as cidades mais inteligentes e melhores para a população.

“O objetivo é preparar melhor estas startups para os próximos editais de fomento e aumentar a taxa de iniciativas bem sucedidas no Guará em um futuro próximo. Garantindo, assim, que a cidade continue a ser um celeiro de inovação”, explica o presidente do Codese, Leonardo de Ávila.

Startups e incubadoras

As incubadoras, como a do Hackacity Guará, são programas que ajudam empresas com modelos de negócio inovadores a alcançarem o sucesso, seja fornecendo treinamentos, mentorias, uma rede de contatos ou experiências. São encontros semanais, entre oficinas, palestras, mentorias especializadas e meetups, que vão até o dezembro deste ano, sempre no Guará.


Cristiane Pereira, gestora do Hackacity Guará, diz: “Trazemos mentores de mercado e do governo para auxiliar as startups a consolidar suas ideias”
 

“O programa é uma série de mentorias para que se possa aprender com aqueles que passaram por experiências semelhantes. Trazemos mentores de mercado e do governo para auxiliar as startups a consolidar suas ideias”, conta Cristiane Pereira, gestora do Hackacity Guará, envolvida com projetos e ações de gestão, cidade inteligente, segurança da informação, inovação e tecnologia da informação, e vice-presidente de Apoio e Fomento à Startups Brasileiras do Instituto Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas.

Quem coordena a metodologia da Incubadora Hackacity Guará é Juliana Martinelli, considerada uma das jovens mais promissoras do Brasil pela Forbes Under 30 e parte da comissão de jovens empreendedores do BRICS.

A incubação entra em sua fase final, prevista para terminar no dia 8 de dezembro. Os próximos encontros vão abordar técnicas de modelagem de negócios, tamanho de mercado e concorrência, aspectos jurídicos para startups, media training e assessoria de imprensa, finanças e investimentos, internacionalização e global mindset, além de mentorias com especialistas em startups.

Saiba mais no site do evento.

*Com informações da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação 

Mapa do site Dúvidas frequentes